Data centers inteligentes: como eles ajudam a sua empresa a lidar com a complexidade digital

Grandes inovações estão para acontecer no mundo dos negócios digitais. A cada ano que passa, surgem novas operações que necessitam de datas centers otimizados. Internet das Coisas (IoT), Edge Computing, Advanced Analytics e a demanda por informações e serviços em tempo real já estão impulsionando a implantação de sistemas mais complexos e dinâmicos. Para lidar com toda essa complexidade, entretanto, é preciso investir em inteligência artificial e machine learning, por exemplo. Ambas as tecnologias permitem que os grandes bancos de dados tenham sua complexidade reduzida. Isso permite uma interligação rápida e mais segura para toda a operação.

O investimento necessário para essa mudança, entretanto, precisa ser vislumbrado pelos líderes de TI. Muitos dos sistemas atuais são implementados para unidades de negócios com propósito específico. Ou seja, são raras as plataformas que monitoram e analisam os comportamentos desses sistemas, pois muitas vezes eles são criados para um único fim.

Segundo a consultoria Gartner, existem quatro propriedades-chave de um data center inteligente e auto-organizado:

• Monitorar, testar e fornecer feedback sobre configuração, carga de trabalho, capacidade e conectividade;
• Monitorar outros sistemas ou rede de malha ou nuvem que combine, componha e se adapte a objetivos globais predeterminados;
• Executar ações que atinjam os objetivos estabelecidos pela organização;
• Aplicar princípios compostos à utilização e eficiência de recursos.

Para George Weiss, vice-presidente e analista emérito do Gartner, existem três questionamentos que são vitais para os líderes de Infraestrutura e Operações (I&O):

1. Como isso beneficiará o negócio em termos de confiabilidade, resiliência, capacidade de resposta e recuperação?
2. Como avaliar a eficiência dos produtos entre os fornecedores, as contribuições dos parceiros e o ecossistema empresarial mais amplo?
3. Como as ferramentas legais de automação existentes podem ser complementadas ou substituídas pela próxima onda de soluções?

A partir dessas análises será possível construir data centers inteligentes que vão otimizar as metas e níveis de toda a operação.